#Top7: Livros que tocaram a minha alma

Bom, primeiramente eu queria agradecer à Nayara Rosolen pela indicação. A Tag funciona da seguinte forma: 

“Esta tag consiste em você indicar outras pessoas, (como toda tag funciona) e a pessoa que for indicada deve fazer um post com o tema #Top7 onde ela tem a liberdade de escolher sobre o que quer falar (Ex. #Top7: Filmes, #Top7: Músicas, #Top7: Séries, #Top7: Escovas de dentes, #Top7 de Tops, #Top7 de blogs, #Top7 de Já acabou Jéssica?, #Top7 músicas do Wesley Safadão) Fica da criatividade de cada um, o tema é livre.”

Como amo livros, resolvi responder com os sete que marcaram muito na minha leitura. Livros que eu amo e me apego muito… P.S.: Entrando em contradição em um post meu tratando-se de desapego. As folhas no chão e o desapego. Mas livros valem o apego, não?

É uma tortura para eu escolher somente sete, pois amo todos os livros que leio. Entretanto, essa é a minha listinha, com base nos que mais me tocaram.


7. “O piano”, de Jerusa Nina.

Sempre que lembo do livro, recordo-me também do momento da compra. Foi bem divertido. Estava eu e mais cinco amigos, ano passado, na Bienal do Livro, aqui no Rio. Eu já tinha comprado livros e não tinha dinheiro para mais. Então fizemos uma Vaquinha, (acho que dei R$2,00, se não me engano) e conseguimos completar. A autora, Jerusa Nina é bem simpática. Ela o autografou com o nome de todos.

“Áurea, uma jovem menina de 15 anos, contará com a ajuda de Celina, uma pianista premiada no passado, para se preparar para seu primeiro concurso de jovens solistas em um festival de música, na mesma época em que se lançará em uma busca incessante pela identidade de seu pai, acabando por descobrir inimagináveis segredos.

Uma história envolvente de dramas familiares e de desafios na escolha de uma carreira artística, emoldurados por uma relação de amizade que deixará como herança o amor à verdade, à arte e à vida, além da consciência da importância do perdão.”

Com a leitura, aprendi que devo acreditar nos meus sonhos. Assim como Áurea, não devo desistir. Um enredo só para os que ousam a viver. Posso dizer que devorei o livro. 

Um fato que me chamou a atenção foi Celina, pedir à menina de quinze anos para todas as viagens que ela for, sempre trazer uma pedra para ela. Para ter um pedaço do chão que Áurea pisou.

6. “Libri di Luca”, de Mikkel Birkegaard.

“Com a morte do pai, Jon Campelli assume a desafiadora tarefa de administrar o sebo da família. Ao tentar organizar a loja, Jon descobre que o porão secreto da Libri di Luca é na verdade a sede da Sociedade dos Bibliófilos e que seus integrantes, mais do que amantes de literatura, possuem a capacidade de influenciar os pensamentos e as emoções das pessoas por meio dos livros. Um incêndio criminoso na Libre de Luca somado a importantes descobertas levam Jon a crer que a morte do pai não foi acidental.”

Mistérios o resume. Confesso, tive um pouco de preguiça para ler. Tentei duas vezes começar, mas só consegui na terceira. No entanto, valeu a pena!

Me identifiquei muito, pois envolve a Literatura, que pulsa nas minhas veias.

5. “Mapas Literários”, uma coletânea de Ninfa Pereira.

Tenho um carinho bem especial pelo livro. Ganhei de Presente da minha mais que amiga, Vera Bastos. E autografado por várias das escritoras… Meu conto preferido é “Ilha de Histórias”. Não só por ser da Verinha, mas pelo amor envolvido. Um amor de carnaval e o choro incontido aos pés da estátua de Renato Russo. Também por meio de prosa, dar vida à Ilha do Governador (bairro do Rio de Janeiro, e o que moro).

Outro conto que também gostei foi “De Marechal a Maribel” de Antonella Catinari. Outro motivo para eu acreditar em meus sonhos.  

4. “Meu coração e outros buracos negros”, de Jasmine Warga.

“Um tema amargo, mas necessário. Em Meu coração e outros buracos negros, a estreante Jasmine Warga apresenta aos leitores um romance adolescente que aborda, de forma aberta, honesta e emocionante, o suicídio. Aysel, a protagonista, enfrenta problemas com a família e os colegas de escola, como tantos jovens por aí, e, aos 16 anos, planeja acabar com a própria vida. Mas quando ela conhece Roman num site de suicídio, em busca de um cúmplice que a ajude a planejar a própria morte, num pacto desesperado, a vida dos dois literalmente vira de cabeça para baixo. Aos poucos, Aysel percebe que seu coração ainda é capaz de bater alegremente. E ela precisará lutar por sua vida, pela vida de Roman e pelo amor que os une, antes que seja tarde.”

Vamos nos suicidar de amor? Já resenhei sobre o livro em meu blog, mas vale a pena falar de novo. Traz de ensinamento que o amor pode transformar pessoas e salvar vidas!

3. “A verdade sobre nós”, de Amanda Grace.

“Madelyn Hawkins está cansada. Cansada de ser sempre perfeita. Cansada de tirar A em tudo. Cansada de seguir à risca os planos que os pais fizeram para ela. Madelyn Hawkins está cansada de ser algo que não é, algo que não quer ser. E então ela conhece Bennet Cartwright. Inteligente, sensível, engraçado. A seu lado, ela se sente livre e independente. Uma história que poderia muito bem ter um final feliz, não fosse por um detalhe: Maddie tem apenas 16 anos, e Bennet, além de ter 25 anos, é seu professor. Pressionada pelos pais a participar de um programa para jovens talentos, Maddie pula dois anos do Ensino Médio e vai direto para a faculdade, onde conhece e se apaixona pelo professor de biologia. O sentimento é recíproco, e para dar uma chance àquele novo relacionamento que lhe faz tão bem, ela decide não contar para Bennet sua idade. Não demora muito para que as coisas comecem a dar errado, e as consequências da farsa de Maddie ganham contornos devastadores quando a verdade vem à tona.” 

A história é contada por meio de cartas, cartas de amor. Um amor impossível. Será que a frase bem clichê: “pro amor não tem idade” funciona mesmo? A opinião é algo bem singular, cada um com a sua…

Me lembrei do que sempre a minha tia diz: “Quem não se comunica se intrubica!” Talvez poderia ser evitado todo o sofrimento amoroso se a idade de Medelyn fosse revelada.

Também chama a atenção sobre a maçante “preocupação” dos pais. Claro, eles têm grande preocupação com o futuro dos filhos, mas há de ter sempre um espaço aos filhos. Abrir um pouco a gaiola…

2. “E se for Você?”, de Amanda Grace.

“Cal Logan e Nicole Bentley eram melhores amigos quando crianças, mas tudo mudou no ensino médio, depois que ela se enturmou com o pessoal mais popular da escola e passou a ignorá-lo. Eles se formaram e Cal foi estudar em Crenshaw, perto de Nova York, enquanto Nicole entrou em Harvard, realizando o grande sonho de seu pai. Quando Cal vai passar as férias de verão em sua cidade natal, fica surpreso em saber que ninguém mais teve notícias dela desde que se mudaram, há mais de um ano.”

O amor sempre reconhece a sua metade. Nicole, depois de um tempo, disfarçara-se com um novo nome: Nyelle. Porém, Cal reconheceu seu brilhante par de olhos azuis, nas loucuras de Nicole/Nyelle é que ri da vida. O amor sempre fala mais alto.

1. “Eu sou o mensageiro”, de Markus Suzack.

O livro que mais amo! Quando eu comecei a ler já fiquei encantado com a história. 

“Seu emprego: taxista. Sua filiação: um pai morto pela birita e uma mãe amarga, ranzinza. Sua companhia constante: um cachorro fedorento e um punhado de amigos fracassados. Sua missão: algo de muito importante, com o potencial de mudar algumas vidas. Por quê? Determinado por quem? Isso nem ele sabe.[…] O que se sabe é que Ed, um dia, teve a coragem de impedir uma assalto a banco. E que, um pouco depois disso, começou a receber cartas anônimas. O conteúdo: invariavelmente, uma carta de baralho, um ou mais endereços e…só.”

No começo, Ed Kennedy “comete um crime infiensável”: ele discute com um ladrão em uma agência bancária. Quem em sã consciência bateria boca” com um assaltante? Nas cartas que recebeu é que vi um jovem corajoso. Forte. Em cada dever cumprido, é que eu me alegrava mais! 

É o tipo de livro que eu penso: “Como vou viver sem a leitura dele? O que será da minha vida?” – como eu disse: me ligo muito a livros, é uma energia, uma atração de dois corpos. Quase um romance! 

E os sete indicados são: Cassuismo | A Parte e o Todo de Mim | Vivimetaliun | Devaneadora de Ideias | O Devir | Rancho Peregrino | O Ponto Final

Não esqueçam de me mandar o link, depois de responder a Tag. Beijos! 

Anúncios

10 comentários sobre “#Top7: Livros que tocaram a minha alma

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s